Instituição

  • História
  • Missão, Visão e Valores
  • Organograma
  • Orgãos Sociais
  • Documentos Institucionais

A Associação de Ludotecas do Porto (ALP) nasce do sonho transformado em realidade do Dr. Virgílio Moreira, pediatra, que impulsionou a criação de diversas ludotecas na cidade do Porto.

Assim surge, em 1987, a ALP que se constitui como Instituição Particular de Solidariedade Social (IPSS).

Com a oficialização da instituição é celebrado, em 1988, um acordo atípico com o Instituto da Segurança Social, IP. A ALP assume-se, então, como um motor de dinamização, acompanhamento e incentivo às ludotecas que a ela se associam.

Acreditando que as ludotecas possam ser fonte de mudanças ao nível das dinâmicas locais e comunitárias, as atenções da ALP começam a incidir cada vez mais sobre o desenvolvimento profissional dos ludotecários nos seus contextos de intervenção.

A formação de ludotecários realiza-se segundo uma lógica que pretende favorecer o intercâmbio e a reflexão sobre as experiências locais, bem como o debate e análise teórica sobre temas selecionados a partir das necessidades verbalizadas pelos profissionais.

Paralelamente, no âmbito de um protocolo de cooperação com a Câmara Municipal do Porto (C.M.P.), a ALP investe fortemente em animações de grande envergadura da cidade do Porto, especialmente em épocas festivas.

Do trabalho desenvolvido com as ludotecas associadas surge em 1990, um projeto itinerante, o Estúdio de Cinema de Animação_ ANILUPA. A avaliação desse trabalho desafiou a ALP a criar, em 1998, um espaço lúdico próprio tendo por base a exploração da imagem animada, o Centro Lúdico de Imagem Animada (CLIA_ANILUPA).

Em 1999, após várias mudanças de instalações, a ALP vê finalmente assinado com a C.M.P um Acordo Comodato para cedência de um espaço na freguesia de Aldoar.

Com o passar dos anos, com o encerrar de portas de grande parte das ludotecas e com as novas instalações, a ALP começa a amadurecer a ideia de investir na criação de mais espaços lúdicos próprios. Assim, em 2002, no âmbito de uma candidatura ao antigo Instituto Português da Droga e Toxicodependência (IPDT), a ALP abre as portas de um equipamento lúdico orientado para crianças entre os 6 e os 14 anos de idade, a Oficina de Animação.

O trabalho em Aldoar vai-se, assim, aprofundando e a ALP toma contacto efetivo com o contexto da freguesia e, especialmente, do bairro de habitação social de Aldoar. Percecionando as diversas carências da população e articulando com as diferentes instituições locais, a ALP sente a pertinência da criação de uma estrutura sólida e polivalente que intervenha junto da comunidade.

Em 2008 nasce, então, o Centro Comunitário de Aldoar, no âmbito de um Acordo Atípico celebrado com o Instituto da Segurança Social, I.P., que continua até hoje a exercer a sua atividade com a comunidade mais carenciada da freguesia.

A intervenção social foi tomando lugar na pintura do trabalho da instituição mas é preocupação permanente da ALP manter a ação lúdica em todas as suas atividades como estratégia de intervenção e de aproximação das pessoas.

A Associação de Ludotecas do Porto (ALP) tem como objetivo principal contribuir para o desenvolvimento integral das crianças, dos jovens e das famílias na defesa e promoção dos seus direitos, numa vertente de integração social e comunitária.

Pretende, também, contribuir através da atividade lúdica para o desenvolvimento integral do ser humano, em favor do exercício de uma cidadania de pleno direito.

 

A ALP tem como principais finalidades:

- Alertar para a importância dos tempos de brincadeira intergeracionais como fator decisivo no sucesso do projeto de socialização;

- Fomentar a criação de modelos educativos não tipificados em que o respeito pela atividade lúdica potencie novas formas de desenvolvimento humano, consequentemente social e cultural;

- Preencher um vazio em termos do atendimento direto à infância e adolescência, no que se refere a uma ocupação saudável dos seus tempos livres, predominando a preocupação com a qualidade dos serviços prestados mais do que a quantidade dos mesmos;

- Perspetivar uma intervenção educativa cujo âmbito não se restrinja apenas ao atendimento direto às crianças e adolescentes, mas se alargue à comunidade em geral;

- Sensibilizar a população em geral para a importância da atividade lúdica no desenvolvimento humano.

ORGÃOS SOCIAIS DA ASSOCIAÇÃO DE LUDOTECAS DO PORTO 2016/2019

 

MESA DA ASSEMBLEIA GERAL

Presidente: Maria Margarida Sousa Guerner

Vice-Presidente: Maria do Carmo Mendes Lopes

Secretário: Liliana Miguel Pires

 

DIREÇÃO

Presidente: Maria Dulce Enes Guimarães Flores Santos

Vice-Presidente: Raquel Maria Rodrigues Simões Moreira

Tesoureira: Augusta Conceição Rangel Vieira Torres Queirós

Secretária-Geral: Dulce Maria Soares Magalhães Soeiro

Vogal: Olga da Silva Carneiro

 

CONSELHO FISCAL

Presidente: Luís Miguel Bonifácio Osório

Secretário: Paulo Messias Alves Lobo

Secretário: Marta Isabel Pequito Luís da Rocha Armada